Home - Sociedade - PJ suspeita que mãe pode ter morto criança na Guarda
Polícia Judiciária deteve mulher que tentava introduzir haxixe na prisão de Coimbra

PJ suspeita que mãe pode ter morto criança na Guarda

A morte de um menino de 9 anos ocorrida ontem na localidade de Sortelhão, na Guarda, poderá ter sido causada pela sua mãe, avança o sítio noticiasaominuto. O caso está na fase inicial de investigação, mas esta é a causa mais plausível.

Para a PJ, a “hipótese mais provável” é a de homicídio da criança por parte da mãe, que “tentou suicidar-se a seguir” com medicamentos. A mulher foi assistida no local e foi transportada posteriormente para o serviço de urgências do Hospital da Guarda.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda disse inicialmente à agência Lusa suspeitar-se que a morte da criança “foi alegadamente provocada por comprimidos”.

O CDOS adiantou que o alerta foi dado cerca das 16:39 e que as circunstâncias da morte da criança estão a ser investigadas pelas autoridades policiais – GNR e Polícia Judiciária – que compareceram no local. O comandante dos Bombeiros Voluntários da Guarda, Paulo Sequeira, contou à Lusa que quando os bombeiros chegaram ao local depararam “com duas vítimas” – a criança e a mãe -, sendo que a mãe estava consciente e o filho encontrava-se em paragem cardiorrespiratória.

Em relação à criança, explicou que os bombeiros e os elementos da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) da Guarda realizaram “manobras de reanimação e suporte avançado de vida, mas sem êxito”. A mãe foi assistida e foi posteriormente transportada para o serviço de urgências do Hospital da Guarda, disse. Estiveram no local um total de doze homens e sete viaturas dos bombeiros, da GNR, da Polícia Judiciária e da VMER da Guarda.

 

LEIA TAMBÉM

Frio e neve para a próxima semana

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) alerta para uma diminuição das temperaturas …

Motorista de Eduardo Cabrita acusado de homicídio por negligência

O motorista que conduzia o carro onde seguia o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, …