Home - Nacional - Projeto de referendo sobre adoção e coadoção aprovado (só) pelo PSD

Projeto de referendo sobre adoção e coadoção aprovado (só) pelo PSD

O projeto de referendo sobre a adoção e coadoção de crianças por casais do mesmo sexo foi hoje aprovado em sede da Assembleia da República, com os votos a favor de 103 deputados do PSD. Já o CDS e dois deputados do PS abstiveram-se, enquanto a restante oposição votou contra.

A Assembleia da República aprovou hoje, com 103 votos favoráveis, 92 votos contra e 26 abstenções, o projeto de resolução de um grupo de deputados sociais-democratas, membros da juventude do partido (JSD), que propõe um referendo sobre coadoção e adoção de crianças por casais do mesmo sexo.

Ainda que o PSD tenha estabelecido uma disciplina de voto, orientando todos os seus deputados a pronunciarem-se a favor desta proposta, houve vários parlamentares sociais-democratas que deram a conhecer a intenção de apresentarem uma declaração de voto, o que traduz bem a divisão no seio do partido face a este tema.

Já a bancada centrista, que integra a coligação governativa, absteve-se, mas também com reservas por parte de alguns elementos.
Dois deputados do PS optaram também pela abstenção, enquanto os restantes deputados socialistas e os outros grupos parlamentares da oposição votaram contra o projeto.
A decisão foi recebida sob fortes protestos nas galerias da Assembleia, com pessoas a serem retiradas pela polícia por gritarem palavras como “vergonha”.

Miguel Vale de Almeida, ex-deputado independente pelo PS, retirou-se da sala, mostrando, assim, o seu desacordo com a aprovação da proposta.

O projeto de resolução em causa propõe que sejam colocadas aos portugueses as seguintes questões: “1. Concorda que o cônjuge ou unido de facto do mesmo sexo possa adotar o filho do seu cônjuge ou unido de facto? 2. Concorda com a adoção por casais, casados ou unidos de facto, do mesmo sexo?”.
Saliente-se que depois de aprovado, a convocação do referendo terá ainda de passar pela fiscalização preventiva obrigatória do Tribunal Constitucional e, em última instância, dependerá da decisão do Presidente da República.

noticiasaominuto.com

LEIA TAMBÉM

Maria Barroso faleceu esta madrugada

Maria Barroso morreu esta madrugada. Aos 90 anos, a mulher do ex-presidente da República Mário …

Mais de metade do país está em seca extrema

Maio de 2015 foi o terceiro mais seco dos últimos 11 anos e no final …