Home - Outros Destaques - “Rui Rio ganhou o partido, contra tudo e contra todos, e demonstrou que, com ele à frente, o PSD está em condições de vencer as legislativas”

“Rui Rio ganhou o partido, contra tudo e contra todos, e demonstrou que, com ele à frente, o PSD está em condições de vencer as legislativas”

Fernando Tavares Pereira foi uma das poucas figuras públicas da região que manifestou publicamente o seu apoio a Rui Rio nas directas do PSD. O empresário confessa que a vitória foi algo inesperada, mas quem beneficia é o partido e o país. “Rui Rio ganhou o partido, contra tudo e contra todos, e demonstrou que com ele à frente o PSD pode vencer as legislativas”, conta em entrevista ao CBS, frisando que está disponível para ajudar naquilo que for necessário e acredita que com Rui Rio devem surgir finalmente políticos que conheçam a realidade e que defendam o interior.

CBS- O que é que o levou a apoiar publicamente Rui Rio quando todas as figuras públicas se aproximavam cada vez mais de Paulo Rangel?

Fernando Tavares Pereira – Esta vitória de Rui Rio, na minha opinião e de muitas pessoas que estavam com ele, foi algo inesperada, porque as máquinas de triturar líderes existem em todos os partidos e, claro, também no PSD. A estratégia daqueles que queriam o poder à força, com o ajuda das distritais e concelhias, não funcionou, porque se esqueceram do poder das bases. Do povo. O meu apoio foi para um homem que disse que não se podia esquecer o Interior e que não teve problemas de o assumir em plena assembleia. É um homem honesto, competente, capaz e que não cai no facilitismo das promessas falsas. O povo nestas directas, em certa medida, derrotou o caciquismo.

A capacidade de descentralizar é um dos atributos que reconhece a Rui Rio?

Sim. E está na altura de as pessoas perceberem o que querem para o país. Se querem mais centralismo ou um país mais justo. Se querem políticos que gastam dinheiro só para manterem o poder ou se preferem pessoas competentes para colocarem o país onde ele merece. Um pais mais justo para todos e não só para alguns. Rui Rio ganhou o partido, contra tudo e contra todos, e demonstrou que, com ele à frente, o PSD está em condições de vencer as legislativas. Só espero que aqueles que queriam o poder à força respeitem a vontade dos militantes e apoiem o presidente do partido no sentido de este chegar a Primeiro-ministro. Tenho muita confiança que ele será o vencedor a 30 de Janeiro. A bem da estabilidade e do país.

Não chegou a temer uma derrota de Rui Rio e que este apoio lhe fosse cobrado?

Sou uma pessoa de convicções. Não me escondo quando acredito em algo que considero justo. Muitas pessoas criticaram-me por dar o apoio ao Rui Rio, mas sabia que estava a fazer aquilo que era mais correcto para que houvesse verdade democrática no PSD. Felizmente, as pessoas não ficaram acomodadas em casa e mostraram que a verdadeira força do partido está nas bases, dando esta vitória a Rui Rio. Esta é, como já disse, uma vitória do povo que deve obrigar muito boa gente a reflectir. O tempo das elites já lá vai. Quando se fez a lei que limitava o mandato nas autarquias, deveriam ter feito o mesmo para os deputados, porque muita dessa gente ficou habituada em nada fazer e quer manter sempre o lugar.

Partilha da opinião de Rui Rio quando diz que muitos dos que provocaram estas eleições estavam a pensar nos próprios interesses e não no partido ou no país?

Plenamente. Não tenho dúvida nenhuma disso. Muitos dos que estavam a apoiar o Paulo Rangel colocavam-se primeiro a eles, depois a eles e só lá para o fim os interesses da sociedade, do país. E essa afirmação diz muito daquilo que é Rui Rio. Não é qualquer político que tem coragem de falar como ele falou. Disse a verdade. Pura e dura. É o melhor político que temos no país. Não vale a pena andar a inventar.

……. 

Os portugueses têm de pensar o que é que querem para o país. Nós aqui, em termos de saúde, por exemplo, andámos para trás. Encerraram centros de saúde e ficámos pior que antes do 25 de Abril. Os políticos da nossa região são também culpados e responsáveis. Falo das câmaras municipais que deixaram fazer tudo sem levantar a voz. O mesmo se passa na educação, na justiça, nos tribunais. Rui Rio é pessoa para nos devolver aquilo que nos tiraram, sem esquecer o resto do país. Não tenho dúvidas nenhumas que é um homem bom, da terra, capaz de fazer aquilo que promete. Além disso, piorou tudo em todo o país e temos uma carga de impostos insuportável. O PSD apresenta um candidato que é a favor de todos os portugueses e é competente. Já o demonstrou várias vezes. Veja-se o trabalho dele na Câmara do Porto. O que precisamos é de pessoas dignas, correctas.

Estará disponível se for convidado por Rui Rio estará para integrar a candidatura ou ajudar na campanha das legislativas de Janeiro?

Uma pessoa nunca pode dizer não. São coisas que têm de ser ponderadas. Mas temos de estar disponíveis desde que o projecto ambicioso e para todos, que possa contribuir para o bem-estar do interior e também do litoral. Temos necessidade de ter pessoas capazes e competentes, com conhecimento das causas. Os cargos não podem ser para aqueles que tiraram cursos de política sem saberem o que se passa na vida real. Por ter sido governado por esses senhores é que o país está neste estado. Muitos vão para deputados e mal lá chegam esquecem as origens. Esquecem-se para o que foram eleitos de defender as populações que os elegeram. Têm de ser pessoas capazes, com passado em empresas, autarquias e outras coisas mais. Com os políticos de carreira não vamos a lado nenhum.

Significa que está disponível?

Temos de estar todos disponíveis.  O país, neste momento, precisa de pessoas de bem, competentes, capazes e com conhecimento das causas que vão defender. A mais valia de Rui Rio e a mais valia para o nosso interior é levar pessoas que conheçam as causas e que saibam defender os interesses da região. Os interesses de todos e não apenas de alguns, uma vez que qualquer cor política tem de ser tratada com dignidade. Por vezes isso não acontece. Já senti isso pessoalmente. As perseguições têm de acabar. Temos de ser todos iguais. Caso contrário, o nosso pais cada vez se afunda mais. Cada vez há mais litoral e menos vida no interior que não pode continuar a ser argumento para Portugal ir buscar dinheiro à União Europeia que depois é investido no litoral. Por isso, estou disponível para o que for preciso.

LEIA TAMBÉM

Alvoco das Várzeas recebe plantação de espécies autóctones

A Escola Superior Agrária do Politécnico de Coimbra (ESAC-IPC), no âmbito do projeto F4F – …

“O Alexandrino não sabe o que diz…”

A candidata número dois do PSD pelo círculo eleitoral de Coimbra defendeu hoje a necessidade …