Home - Outros Destaques - Santovaiense avança com recuperação da AEOH, mas atraso na obra já terá dado “prejuízo de 400 mil euros” ao município

Santovaiense avança com recuperação da AEOH, mas atraso na obra já terá dado “prejuízo de 400 mil euros” ao município

A Construtora Santovaiense ganhou o concurso público e está a realizar as obras no Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital (AEOH), depois do município ter rescindido o contrato com a empresa CIP- Construções Irmãos Peres, um caso que ainda decorre nos tribunais. A autarquia reclama uma indemnização à empresa, enquanto a construtora alega que deve ser ressarcida pela Câmara Municipal por não ter tido a possibilidade de concluir a obra. O presidente da autarquia, entretanto, já reconheceu, em Julho, que o facto da obra não ter sido realizada no prazo terá causado um prejuízo ao município a rondar os 400 mil euros.

A empreitada, com o novo contrato assinado em 30 de Março deste ano, está orçada em mais de 1,1 milhões de euros e prevê a substituição das coberturas de fibrocimento (contendo amianto) dos pavilhões e passadiços. Será também substituída a caixilharia e haverá uma   melhoria energética do espaço escolar. Estes valores podem no entanto disparar se a empresa CIP- Construções Irmãos Peres, que deu início aos trabalhos em Dezembro de 2018, ganhar o processo em tribunal.

O próprio presidente José Carlos Alexandrino reconhece que será a justiça a decidir. O autarca explicou na altura em que resolveu avançar, em Janeiro, para um novo concurso que o processo está nos Tribunais e decorreu de uma rescisão litigiosa e consequente posse administrativa. “Claro que tivemos que romper. Porque caso contrário, aquilo continuava assim e iríamos perder as verbas do quadro comunitário”, explicou o autarca, garantindo que “não haverá concertação entre a Câmara Municipal e a empresa”.

“A obra não foi realizada por responsabilidade da empresa. Disso não tenho dúvidas nenhumas”, garantiu o presidente, para quem este é um processo “desagradável por ser uma empresa do concelho”. “Mas há que defender os interesses públicos e municipais. Isto tem sido um verdadeiro calvário”, disse, ao mesmo tempo que garantia que com a Construtora Santovaiense o processo “vai correr bem”. “A empresa tem demonstrado competência”, afirmou.

LEIA TAMBÉM

Um novo caso de COVID-19 e um recuperado em Oliveira do Hospital

O concelho de Oliveira do Hospital mantém seis casos activos de Covid-19. Desde a última …

Coligação PPD/PSD.CDS-PP de Oliveira do Hospital iniciou pré-campanha com outdoors

A coligação PPD/PSD.CDS-PP de Oliveira do Hospital “Unidos para Construir o Futuro” iniciou hoje as …