Home - Últimas - Seia inaugurou novo espaço para amantes de drones

Seia inaugurou novo espaço para amantes de drones

Dezenas de adeptos de Drones reuniram-se ontem em Seia para a inauguração do Ponto Drone – Terras de Senna Seia – Vodra que, segundo os responsáveis, tem como objectivo divulgar a actividade dos Operadores e Pilotos de Veículos Não Tripulados, bem como a realização de acções de “baptismo”, formação e acções de sensibilização direccionadas aos praticantes e admiradores da actividade. A nova estrutura é um local onde os adeptos desta actividade podem aprender a pilotar aquelas máquinas, bem como tomar conhecimento de toda a legislação que rege esta nova actividade. Os responsáveis prometem ainda realizar actividades por todo o concelho, aproveitando também para dar a conhecer a beleza natural da Serra da Estrela.

“Houve uma forte aderência principalmente durante a manhã. Houve muitos jovens com 10, 13, 14 anos a fazerem o baptismo de voo. Alguns pais também participaram e colaboraram”, explica o Director do Ponto Drone – Terras de Senna Seia – Vodra, Nuno Simões, sublinhando que o ponto vai estar aberto, mas a utilização deve ser por marcação. Explica também que, como a autorização é a nível de concelho, esta nova estrutura promete levar os participantes a vários pontos. “Temos locais com paisagens magnificas, como São Romão, Loriga ou Lapa dos Dinheiros”, conta assegurando que o Ponto Drone – Terras de Senna Seia – Vodra vai procurar demonstrar as potencialidades e várias utilizações nos dias de hoje desta nova tecnologia.

Quem também marcou presença foi um dos responsáveis da AP Drone, uma associação nacional de defesa dos interesses dos pilotos e operadores de veículos não tripulados. “Estes pontos drone servem para os adeptos se instruírem e trocar conhecimentos. Enfim, aprender voar em segurança”, conta Luís Sousa, dirigente desta associação que conta 1400 associados a nível nacional. “A nossa vocação principal é sensibilizar os pilotos para que cumpram com as leis. Temos de mostrar às pessoas que o drone não é nenhum bicho papão e tem legislação própria”, defendendo que a legislação deveria prever uma formação obrigatória para todos aqueles que pretendem pilotar estas máquinas. “Não têm existido acidentes, mas se houvesse uma formação obrigatória a situação seria ainda melhor”, conclui.

 

LEIA TAMBÉM

Incêndio obriga a evacuar aldeia de Soida e a praia fluvial de Aldeia Viçosa

A aldeia de Soida e a praia fluvial de Aldeia Viçosa, concelho da Guarda, foram …

Presidente da Câmara de Manteigas elogiou seis sapadores que salvaram bosque de faias

O presidente da Câmara de Manteigas elogiou hoje a coragem de seis sapadores florestais, dois …