Home - Opinião - Sobre as «100 personalidades» que apoiam o candidato do regime, Francisco Rolo. Autor: Carlos Martelo

Sobre as «100 personalidades» que apoiam o candidato do regime, Francisco Rolo. Autor: Carlos Martelo

Comédia quase bufa em três actos.

Assim vai a política local rumo às Eleições Autárquicas.

 I Acto

– Sobre as «100 personalidades» que apoiam o candidato do regime, Francisco Rolo.

Está publicitada a novidade.  Francisco Rolo, o anunciado candidato a Presidente de Câmara pelo PS, parece que tem «100 Personalidades» a apoiá-lo na ideia.  Escrevemos «100» em algarismos para não nos enganarmos e escrevermos «sem» em letras.  Um tal engano poderia dar a ideia que estávamos a pretender que Francisco Rolo fosse um candidato «sem personalidades».

Ao que se diz, o homem tem a sua personalidade própria, e ainda bem.  Mas logo se acrescenta que não tem carisma para estas aventuras de vir a ser Presidente de Câmara. Enfim, diz-se, não é para ser levado a sério na pretensão. Conclusões subjectivas.  Claro que ele não pode pretender comparar-se ao seu ainda Presidente Alexandrino.  Este é um populista nato que ainda por cima se tem especializado na função, «selfie» atrás de «selfie», promessa atrás de promessa. Cumpra ou não cumpra a seguir.

Desta vez, a preparar já o caminho rumo às eleições autárquicas de Outubro, Rolo começa a aparecer muito mais nas fotografias, começa a falar na rádio, começa a ser mais «oferecido» aos eleitores. Todavia, ainda não entrou nas prioridades eleitorais destes, é perceptível.

PS e Alexandrino já se aperceberam das fragilidades. Não são favas contadas, as almejadas vitórias eleitorais, este ano.

Para melhorar, cada vez mais Alexandrino terá que dar ao chinelo e trazer Rolo pela mão, como um filhote político, povoação atrás de povoação, contacto atrás de contacto.  Aliás, até a jogarem na confusão do pessoal que não distingue com facilidade a diferente situação de Alexandrino por este ser, agora, candidato a Presidente, mas da Assembleia Municipal.  Muitos eleitores vão continuar a pensar que é para ele voltar a ser Presidente da Câmara e, então, já se sabe como acabam por votar.

Mas regressando às «100 personalidades» que é suposto apoiarem Rolo, o candidato do regime, aqui se deixa já um desafio, salvaguardando que não são todas iguais essas personalidades: adivinhe-se então quais serão as contrapartidas desta vez «negociadas» com pelo menos, uma grande parte para esses aceitarem que lhes divulguem o apoio em Rolo para fins eleitorais?  De fato, dá para imaginar, quantos deles e quantas delas se querem vir a sentar, ou a sentar a família, à mesa do orçamento municipal?  E de promessas e mais promessas ainda não está o PS cheio, de as fazer.

Brevemente no seu jornal os Actos II e III da Comédia quase bufa.

Autor: Carlos Martelo

LEIA TAMBÉM

«Entro na Câmara de fininho e sem especiais evidências. Saio a falar grosso e gestor de uma empresa lubrificada com dinheiros públicos». Autor: Carlos Martelo

Eis uma história de sucesso. Um dia, nos idos de 2009, os astros da política …

Nuno Tavares Pereira: “José Carlos Alexandrino não cumpriu praticamente nada do que prometeu”

Nuno Tavares Pereira fala sobre as obras que saíram do PRR e considera que não …