Home - Últimas - Unidade Local de Saúde da Guarda recupera consultas externas em atraso

Unidade Local de Saúde da Guarda recupera consultas externas em atraso

A Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda anunciou hoje que está a recuperar consultas externas em atraso devido à pandemia de covid-19 e prevê iniciar este mês a recuperação da actividade na área cirúrgica. “No que diz respeito à consulta externa, as especialidades mais afectadas pela deslocação dos profissionais médicos para assistência covid foram a pneumologia e a medicina interna, estando neste momento a realizar as consultas em atraso não só de forma presencial, como também através de contacto telefónico com os utentes”, refere a ULS da Guarda numa resposta escrita enviada à agência Lusa.

Quanto à área cirúrgica, a fonte adianta que foi possível “recuperar atividade em regime ambulatório, a qual não foi completamente suspensa no início do ano, pois houve recurso ao Bloco Operatório do Hospital Nossa Senhora da Assunção HNSA [em Seia] e foram realizadas algumas cirurgias, ainda que em número reduzido, no Hospital Sousa Martins”. “Em regime de internamento, uma vez que o internamento covid ocupou as duas maiores enfermarias deste tipo de especialidades (cirurgia e ortopedia), ainda não foi possível proceder ao agendamento de um grande número de doentes por falta de camas”, acrescenta.

Segundo a ULS, “com o regresso às instalações originais por parte do serviço de cirurgia, que ocorreu no passado fim de semana, serão libertadas camas para o serviço de ortopedia”. A fonte admite “que a partir da segunda quinzena do corrente mês” possa “iniciar a recuperação da atividade não realizada”. “De salientar que para cada um destes regimes dispomos de um bloco operatório distinto, o que não ocorre actualmente, uma vez que o Bloco Operatório Central dedicado à cirurgia de internamento foi ocupado pela área covid”, remata.

No que concerne à covid-19, a ULS da Guarda tem hoje internados 11 doentes, nove em enfermaria (o mais velho com 84 anos e o mais novo com 40 anos) e dois em Unidade de Cuidados Intensivos (com 68 e 56 anos).

De acordo com os dados, entre 1 de Janeiro e 10 de Maio de 2021, a média de dias de internamento de doentes falecidos foi de oito dias na enfermaria e de dois dias na Unidade de Cuidados Intensivos e as idades mais afectadas foram 90, 88, 91 e 86 anos e 66, 75, 81 e 83 anos, respectivamente. No mesmo período, a ULS registou o maior número de doentes internados em enfermaria no dia 06 de Fevereiro (105) e na Unidade de Cuidados Intensivos de 05 a 08 de Fevereiro e no dia 11 do mesmo mês (16). Nos dias 11, 22 e 27 de Janeiro e 01 de Fevereiro a mesma unidade de saúde registou o maior número de falecidos em enfermaria (5) e nos dias 24 de Janeiro e 15 de Fevereiro em Cuidados Intensivos (2).

A ULS da Guarda abrange 13 concelhos do distrito da Guarda, exceto o de Aguiar da Beira, que pertence ao Agrupamento de Centros de Saúde do Dão – Lafões.

LEIA TAMBÉM

Universidade da Beira Interior investiga formas de melhorar produção de mirtilo

A Universidade da Beira Interior (UBI) está a desenvolver um estudo que pretende melhorar a …

Máquina de rasto incendeia-se no Parque Eólico do Cadafaz, em Góis

Uma máquina de rasto incendiou-se hoje no parque eólico do Cadafaz, em Góis, confirmou o …