Home - Últimas - Vereador do CDS contra os mais de 100 mil euros pagos pela CM da Covilhã à produtora da telenovela A Serra

Vereador do CDS contra os mais de 100 mil euros pagos pela CM da Covilhã à produtora da telenovela A Serra

Os custos, sob a forma de contrato de publicidade, para a Câmara Municipal da Covilhã com a telenovela “A Serra”, emitida pela estação de televisão SIC, envolvem “pouco mais de 100 mil euros”, explicou o presidente da autarquia durante a reunião de Câmara. O autarca, segundo a Rádio Clube da Covilhã, respondia a uma questão do vereador do CDS, Adolfo Mesquita Nunes, que se mostrou contra este investimento, assegura que este investimento não terá o retorno esperado, contrariando Vítor Pereira para quem esta aposta “permite que a Serra da Estrela e a região sejam faladas diariamente em horário nobre”, destacando que “os episódios que já foram para o ar bateram audiências, o que tem importância”, vincou. Juntamente com a Covilhã, Seia também investiu 100 mil euros, desconhecendo-se os montantes investidos por Manteigas e Gouveia, os outros concelhos envolvidos, colocaram nesta novela.

Vítor Pereira afirma mesmo que este é o “mais arrojado projecto conjunto da região” para a sua divulgação, considerando-o “fundamental para trazer mais turistas, quando se reabrir a economia, no pós-pandemia”, afirmou. Argumentos que não convencem o centrista. Face aos valores envolvidos, Adolfo Mesquita Nunes, citado pela Rádio Clube da Covilhã, mostrou-se “frontalmente contra”. O vereador do CDS disse que tem noção, devido às funções que já exerceu (foi Secretário de Estado do Turismo), de “quanto custa uma boa campanha para promover um destino turístico”. Explicou ainda que “não vê retorno numa campanha deste género”, porque “o destino Covilhã não vai aparecer por si, com os seus produtos” e com este dinheiro “teria feito uma campanha de marketing digital”, afirmou. O vereador centrista vincou que é a favor de uma boa campanha turística para a Covilhã, mas “não esta campanha”, destacou.

Carlos Pinto, vereador independente, apoia a decisão da Câmara. Afirma que a telenovela “tem a abrangência de certos públicos que nos interessam”, vincando que “é mais vantajosa que apoios à Volta a Portugal e coisas do género que duram o tempo que duram”, disse, citado pela rádio. Carlos Pinto frisou ainda que “não rejeita a ideia de uma campanha direccionada” mas concorda com esta iniciativa. Ainda sobre a telenovela “A Serra”, que nas redes sociais tem gerado muitas críticas, principalmente devido à manipulação de cenários, Vítor Pereira alertou que “não se trata de um documentário sobre o território”, mas de uma obra de ficção e, como tal, “não reproduz fielmente a situação nem faz reproduções históricas” explicou, pedindo que não se confundam as situações.

LEIA TAMBÉM

Museu da Miniatura Automóvel de Gouveia comemora 14 anos e apresenta colecção do museu de Salamanca

O Museu da Miniatura Automóvel de Gouveia celebra amanhã o seu 14.º aniversário e o …

Começaram as obras de modernização da Linha da Beira Alta

A Infra-estruturas de Portugal (IP) iniciou no dia 25 de Novembro, em Mangualde, os trabalhos …