Home - Últimas - Vinicultores franceses acendem velas e queimam fardos de palha para proteger as vinhas das geadas

Vinicultores franceses acendem velas e queimam fardos de palha para proteger as vinhas das geadas

As fortes geadas de Primavera estão a provocar receios de grandes danos nas vinhas francesas. A preocupação é tal que os vinicultores estão a acender “velas” e a queimar fardos de palha na esperança de proteger as videiras.

As temperaturas caíram para -5 ° C na noite de quarta-feira em algumas regiões vinícolas, incluindo Chablis, Borgonha e Bordéus, o que pode prejudicar os rebentos já bem desenvolvidos devido às temperaturas muito mais quentes registradas na semana passada. Em Chablis, conhecida mundialmente pelo seu vinho branco, o brilho dourado de dezenas de milhares de velas iluminou as vinhas ondulantes na madrugada de quarta-feira.

Laurent Pinson, um viticultor, explicou à Reuters, que encheu os seus 14 hectares de videiras com 300 a 600 “velas grandes”: latas de parafina em chamas. “Jogamos a colheita em algumas noites, em uma, duas ou três noites”, explica.

Os produtores acreditam que os danos serão inevitáveis, embora ainda seja cedo para quantificá-los. “Também vai estar frio esta noite, por isso há muita preocupação”, diz Christophe Chateau, do grupo produtor de Bordéus CIVB. “Com duas noites consecutivas, o risco de danificar a vinha é o dobro”.

Os produtores de vinho também queimaram fardos de palha para criar uma cortina de fumo para evitar que o sol da manhã queime os rebentos congelados; borrifaram água nas vinhas, que actua como uma barreira protectora contra o gelo; instalaram aquecedores e torres eólicas.

Há 20 ou 25 anos, os períodos de congelamento eram mais no mês de Maio, mas agora esse período é mais no mês de Abril, o que significa que as temperaturas são negativamente mais altas, declara Laurent Pinson. “Não temos mais pequenas geadas da Primavera a -1 ° C, -2 ° C no máximo, podemos ter geadas que variam de -4 ° C, -5 ° C, -6 ° C ou até mais em certos sectores. É muito problemático porque o nível de protecção não tem a mesma eficácia. ”

Uma onda de frio em Abril de 2017 danificou tanto as vinhas que a produção anual de vinhos franceses caiu para o seu nível mais baixo da história. As geadas também causaram problemas em 2016 e novamente em 2019.

Fotos: Titouan Rimbault

LEIA TAMBÉM

COVID-19 continua a aumentar em Tábua e já vai em 11 casos activos

O relatório de situação epidemiológica no concelho de Tábua divulgado hoje revela que no espaço …

Centro de testes da COVID-19 vai funcionar a partir de amanhã à entrada do estacionamento subterrâneo do Hospital Sousa Martins

O Centro de Testes COVID-19 (Drive Thru) da Guarda funcionar, a partir de amanhã, junto …